O Exército Brasileiro, a lesma e a Arca


19 de abril de 1648.jpg

(19 de abril - Dia do Exército)
por Ney de Araripe Sucupira *



Diante  do atribulado panorama político e social que estamos a viver no país, uma das coisas que mais tem nos irritado é quando nos perguntam provocativamente: "E daí, e nosso Exército?” Com muita serenidade nos acostumamos responder: "o grande mundo vai muito bem obrigado, continua a cumprir seus deveres de ofício  aqui e no exterior, e a mídia não tem muito interesse que você e a sociedade saibam.”

Durante cerimônia oficial, há pouco tempo, impertinente empresário  desprovido de visão política e estratégica, ousou provocar-nos ao referir-se  à Força Terrestre: Como é, a lesma não vai intervir no governo diante do estado das coisas no Brasil. Respondemos, simplesmente, argumentando  que a situação era política e policial, e cabe ao Poder Judiciário dar a competente solução.

O exército e a lesma

Lembro que, uma das interessantes observações durante a nossa  vida de menino escoteiro era  acompanhar a movimentação das lesmas na natureza. Que rara espécie!  Chamava-nos a  atenção o  corpo viscoso, os periscópios olhos giratórios e a carga do  seu casulo  sob sol ou chuva, gastando o  dia cruzando a área do acampamento entre barracas e construções rústicas de eucalipto.

Lendo publicação  científica, há pouco tempo, tomamos conhecimento que a movimentação da lesma  rendeu pesquisa  dando conta que cronometraram uma lesma a 0,012 quilômetros por hora, ou seja 12 metros por hora, daí   jocosamente o costume de batizarem pessoas de lesma quando são vagarosas.

Pensando bem, embora a lesma se mova em ritmo lento, ela nos sugere  possuir a força de uma grande virtude,a "perseverança", sempre exaltada por  Charles H. Spurgeon, poeta e  eminente pregador  batista britânico (1834- 1892), irônico comentarista do singular animalzinho, "Saibam que a  lesma chegou até a Arca  de Noé pela perseverança".

Na língua original grega, a palavra perseverança significa determinação, constância e resistência, atributos que estamos convencidos que o Exército de Caxias está suficientemente alicerçado em sua doutrina inspirada desde os acontecimentos  de 19 de abril de 1648, marco da vitoriosa Batalha dos Guararapes.

Passados tantos anos, hoje,  veterano chefe escoteiro, continuamos  observando as lesmas cruzando o jardim de nossa casa, convictos de que as  "lesmas verdes" não necessitam chegar à Arca do Planalto, pois a perseverança na sua grande estratégia é perfeita para moderar, induzir e oferecer ao Estado a garantia da lei e da ordem, e na manutenção da necessária paz social no país, como o grande guardião da Pátria  em companhia das Forças Singulares.

O segundo exército das Américas

Os operadores da mídia, raramente, comentarão  que  o invicto Exército Brasileiro é o segundo maior das Américas depois dos EEUU, é o maior da América Latina, visto pela  ONU com o melhor perfil de soldado: profissional, técnico, humanista e operacional se preciso for, segundo  avaliação de sua participação nas Forças de Paz.

O nosso Exército, a despeito de provações provocadas por segmentos desprovidos de sentimento cívico, persevera no seu espírito de grandeza de servir, merecendo a admiração e confiança dos brasileiros, o respeito das forças externas congêneres, pois não é de índole  intervencionista, nem força de conquista e ocupação, apenas deseja o bem estar do povo que o viu nascer e moldar-se desde aquela batalha de imposição da soberania nacional contra força invasora.

Aos soldados do nosso Exército,   avivamos com emoção, "perseverança" era justamente  a palavra usada para referir-se aos cristãos que permaneciam firmes em sua caminhada de fé apesar de provações  muito árduas.

"Vocês sabem que a prova de fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, afim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem falar-lhes coisa alguma" (Tiago 1.3-4)


*Delegado Regional da ADESG - São Paulo